Início Linha Temática I Desenvolvimento da Plena Atenção Lúcida

Desenvolvimento da Plena Atenção Lúcida

0
6533

As instruções dessa linha temática foram oferecidas pelo Lama Padma Samten durante o retiro de 03 a 16 de janeiro de 2020 na sala de práticas do Cebb Bacupari, no município de Mostardas RS. Sons sofreram edição mínima. Encontramos ruídos naturais como do vento e também dos pássaros. Adicionamos uma ou outra foto e filmagens breves para ilustrar o ambiente humano e físico onde os ensinamentos foram apresentados.

Quanto ao conteúdo, os aspectos mais relevantes são o destaque enfatizado pelo Lama quanto à visível complementariedade entre a abordagem do Buda em textos Theravada clássicos Anapanasati Sutta, Satipathana Sutta e Mahasatipathana Sutta com a abordagem Ati como apresentada no Prajnaparamita e na abordagem por Dudjom Rinpoche no texto “Iluminação da Sabedoria Primordial”. Essencialmente a complementariedade com respeito importância da contemplação extensa das experiências de realidade a partir da visão lúcida. Aqui os temas de contemplação começam com a respiração, corpo, …., até o amadurecimento enquanto fruição.

Quanto aos textos de referência, Anapanasati Sutta, é o capítulo 118 do Majjhima Nikaya www.acessoaoinsight.net/sutta/MN118.php, Satipathana Sutta é o capítulo 10 www.acessoaoinsight.net/sutta/MN10.php, e Mahasatipathana Sutta que é o capítulo 22 do Digha Nikaya www.acessoaoinsight.net/sutta/DN22.php.  Estes e também uma vasta literatura de textos do Buda traduzidos do Pali/inglês podem ser encontrados no site Acesso ao Insight www.acessoaoinsight.net/sutta/indice_suttas.php, trabalho extenso e notável de traduções para o português por Michel Beisert e revisão por Yvone Beisert. Muitos méritos!

O texto Iluminação da Sabedoria Primordial por Dudjom Rinpoche é a referência da abordagem Ati. Ao final foram incluídos e comentados alguns versos de Dudjom Lingpa extraídos do texto Darma Tolo … Barro e Penas onde ele nos inspira com sua própria visão, realização e fruição sem esforço. As breves lembranças quanto ao Prajnaparamita foram feitas desde o texto da nossa sadana. Várias referências são feitas também à abordagem da Originação Dependente, enquanto luminosidade e construção de realidades desde a natureza livre da mente, nesse caso podemos usar o livro Roda da Vida como apoio. Na apresentação da linha temática, aqui abaixo, encontrará a descrição de um a um dos passos exatamente como foram registrados ao vivo durante o retiro do Bacupari. Em cada parte há um título e uma descrição do conteúdo. Para uma experiência mais efetiva, onde estiver, reconheça que está de fato em terra pura, de onde poderá receber as bênçãos dos Budas diretamente em seu próprio fluxo mental. Para tanto o Buda indica o caminho internalizador do silêncio e da observação lúcida, direta, sem nada mudar, nada transformar ou neutralizar, sem palavras e sem filosofia.

Índice

Capítulo 1 – Breve Apresentação
Capítulo 2 – Buscando a Contemplação Direta e ultrapassando o Pensamento Discursivo
Capítulo 3 – Visão e Zangthal
Capítulo 4 – Clarificação das aparências desafiadoras
Capítulo 5 – Início das Instruções do Anapanasati Sutta 1-18
Capítulo 6 – Instruções do Anapanasati Sutta 15-19
Capítulo 7 – Contextualização da Visão e das Instruções e Práticas
Capítulo 8 – Instruções do Anapanasati Sutta 15-28
Capítulo 9 – A Linha de Estudo e Contemplação que culmina na Sabedoria Primordial
Capítulo 10 – Instruções do Anapanasati Sutta 15-28 com comentários
Capítulo 11 – Instruções de Anapanasati Sutta 29-43 com comentários
Capítulo 12 – Instruções do Anapanasati Sutta 15-43 com comentários detalhados
Capítulo 13 – Contemplação da Estrutura desses Ensinamentos
Capítulo 14 – Perguntas e Respostas
Capítulo 15 – O Corpo como Caminho
Capítulo 16 – Guru Ioga, a questão das individualidades
Capítulo 17 – O que fazer de agora em diante?
Capítulo 18 – Nyams Sok Lung Loucura e o Cotidiano

Capítulo 1

Breve Apresentação

Na linha temática desse retiro iniciamos com as instruções das práticas de contemplação que o Buda apresenta no texto Anapanasati Sutta. Como sinônimo de Atenção Plena usaremos a lucidez da mente, apresentada como rigpa, visão, e “zagthal”, abertura lúcida nos comentários de Dudjom Rinpoche ao texto Iluminação da Sabedoria Primordial.

Sem a contemplação e amadurecimento da visão quanto à operação do corpo, dos sentidos físicos, dos estados da mente e dos objetos da mente, essas mesmas experiências imediatamente se tornam a operação convencional da originação dependente e das bolhas de realidade, produzindo a sensação de concretitude do samsara. Logo, não basta entendermos a apresentação da visão, é necessário amadurece-la através da contemplação. Sem isso, mesmo a realização adquirida em retiros longos evapora rapidamente diante das aparências invasivas do samsara.

Visão aqui não é apresentada em detalhe, mas baseia-se nas descrições e contemplações da linha temática do retiro de 1-8 de dezembro de 2019.

Voltar ao Índice

Capítulo 2

Buscando a Contemplação Direta e ultrapassando o Pensamento Discursivo

Aqui temos as instruções sobre como olhar diretamente a realidade sem elaboração discursiva. Dificuldades quanto a essa prática. Linguagem das Dakinis. As Dakinis quebram as estruturas cognitivas dos ensinamentos, levam adiante, levam à maturidade da visão. O Buda evita as estruturas cognitivas e nos convida a experimentar diretamente a realidade. A arte, a fotografia podem ser utilizadas para compreender diretamente esse ponto. O Buda nos convida a olhar o pulsar cármico da vida que se dá no corpo. Contemplamos diretamente. O mundo inteiro fala a linguagem das Dakinis.

Voltar ao Índice

Capítulo 3

Visão e Zangthal

Contemplação através da visão, tomando por referência os comentários de Dudjom Rinpoche ao texto Iluminação da Sabedoria Primordial. O exercício da visão lúcida abarca e ilumina também a visão limitada. Assim, os meios hábeis em meio ao mundo se tornam possíveis. Surge a visão dos múltiplos mundos paralelos. A realidade convencional inseparável da visão última é chamada de visão Tathata. Visão aqui é descrita como a clareza quanto à vacuidade Khadag, presença espontânea Lundrup, luminosidade construtora Tsal, energia Lung, visão desempedida Rigpa

Voltar ao Índice

Capítulo 4

Clarificação das aparências desafiadoras

Para não perdermos a visão, é essencial contemplar e amadurecer quanto às várias experiências internas e externas.

Voltar ao Índice

Capítulo 5

Início das Instruções do Anapanasati Sutta 1-18

Começamos com uma breve contextualização e lembrança dos estudos e práticas feitas no Cebb tomando esse texto por referência ainda nos anos 80.
Leitura linha a linha dos dezoito primeiros parágrafos do texto com breves comentários. Lembrança de que o Buda descreve a importância do caminho internalizador e estabelece isso justo pela atenção plena na respiração e no corpo. Nos comentários, ênfase no fato de que o Buda nos ajuda a compreender os temas específicos contemplados mas, essencialmente está é nos colocando na posição de mente livre e lúcida, sustentada por energia autônoma, o que caracteriza os Budas do passado, presente e futuro – prática de Guru Ioga. Referência constante a Zangthal como a essência da prática de lucidez e de plena atenção além de vida e morte. Destaque para o fato de que o Buda não se refere aqui à prática de Shamata, mas diretamente a prática de lucidez.

Voltar ao Índice

Capítulo 6

Instruções do Anapanasati Sutta 15-19

Leitura linha a linha dos parágrafos do texto com breves comentários. Respiração, corpo, vida, sensações, aparências. Retomamos e contextualizamos as experiências desde Kadhag, Lundrub, Tsal, Lung, Rigpa e Zangthal.

Voltar ao Índice

Capítulo 7

Contextualização da Visão e das Instruções e Práticas

Retomamos a lembrança do conjunto das nossas práticas e motivação, referenciais de visão, também dos trajetos que vamos percorrendo e iremos percorrer posteriormente.

Voltar ao Índice

Capítulo 8

Instruções do Anapanasati Sutta 15-28

Leitura das instruções de prática oferecidas pelo Buda para contemplar lentamente, com cuidado. Breves comentários.

Voltar ao Índice

Capítulo 9

A Linha de Estudo e Contemplação que culmina na Sabedoria Primordial

A contemplação das quatro nobres verdades, passo a passo, como eixo da transformação da mente. Dudjom Rinpoche com o texto Iluminação da Sabedoria Primordial trata dos passos finais do nobre caminho e oito passos e culmina com a noção de não dualidade que corresponde a fruição natural da sabedoria diante das aparências, sem a sensação de que há observador, há o que ser observado e há lembrança do que seja conhecimento e lucidez. Visão dos múltiplos mundos interligados em vários níveis. Vasto número de seres inseparáveis manifestando a natureza búdica – seres não duais com seus mundos – manifestação direta de Darmata. Usamos zangthal para poder ultrapassar a dualidade em direção a fruição. Categorias de contemplação que existem também no prajnaparamita. Descrição do foco central do retiro como um todo.

Voltar ao Índice

Capítulo 10

Instruções do Anapanasati Sutta 15-28 com comentários

As instruções do Buda quanto a contemplação através da atenção plena na respiração, e como atingir os quatro fundamentos da atenção plena.

Voltar ao Índice

Capítulo 11

Instruções de Anapanasati Sutta 23-43 com comentários

As instruções de contemplação para o desenvolvimento dos quatro fundamentos da atenção plena em direção à realização dos sete fatores da iluminação. Finalmente a descrição das contemplações que levam os sete fatores da iluminação a seu amadurecimento e a “realização do verdadeiro conhecimento e libertação” – afastamento, desapego, cessação e abandono. 

Voltar ao Índice

Capítulo 12

Instruções do Anapanasati Sutta 15-43 com comentários detalhados

Exame das várias contemplações e dos vários resultados que surgem. Como os obstáculos ressurgem se não pudermos completar essas contemplações. Como as experiências do samsara se escondem, se protegem para depois ressurgir.
Descrição do verdadeiro conhecimento e libertação – afastamento, desapego, cessação e abandono – comentário dessa culminância na perspectiva de zangthal e não dualidade, a extinção do próprio caminho. 

Voltar ao Índice

Capítulo 13

Contemplação da Estrutura desses Ensinamentos

Como cada etapa converge para a etapa seguinte. A importância da visão elevada do local onde estamos praticando: Onde estamos “inspirando e expirando” – nas bolhas, em terra pura, nas mandalas? Visão dos ensinamentos desde a estrutura dos 21 itens. Importância da não dualidade. Renascimento dos mestres mesmo após a realização da cessação e do abandono, o nascimento do bodisatva no talo do lótus.

Voltar ao Índice

Capítulo 14

Perguntas e Respostas

Importância de contemplar os ensinamentos do prajnaparamita. Surgimento do mundo ainda que pareça causal é não-causal através dos doze elos da originação dependente, khadag e tsal. Todas as construções ainda que feitas, seguem abertas – tsal, khadag. A originação dependente é a inteligência dos seres do mundo – tsal, khadag, lung. O mundo é vivo, se constrói incessantemente – essa compreensão é a apresentação da mandala de Samantabadra. Todos os seres tem por seu centro a natureza búdica, viva, luminosa, livre. Nossa mente não é humana, é ampla, sem limites, ainda que se manifeste em corpo humano. Aos poucos passamos a ver isso. O abandono é a liberdade natural frente ao conjunto de condicionamentos.

Voltar ao Índice

Capítulo 15

O Corpo como Caminho

O eixo central do nosso treinamento é estabelecido no ensinamento Iluminação da Sabedoria Primordial como comentado por Dudjom Rinpoche, onde vamos até a não-dualidade e Darmata. Essas instruções precisariam ser utilizadas na contemplação extensa das aparências internas e externas como apresentado no ensinamento sobre os Seis Selos, na falta dessa contemplação extensa, surgem as respostas automáticas usuais do samsara, os nyam e a perda da visão. Assim, a contemplação do corpo se insere nessa perspectiva. Vemos o corpo como aparência grosseira, também como aparência sutil inseparável da mente. Terminamos encontrando o aspecto secreto da experiência com khadag, lundrup, tsal, lung e rigpa. Assim treinamos com o corpo.

Voltar ao Índice

Capítulo 16

Guru Ioga, a questão das individualidades

A lucidez interna, profunda, é individual? A lucidez comum parece individual. Guru Ioga. Ensinamentos pacíficos e irados. A liberdade quanto às identidades. Podemos surgir de vários modos. Afastamento, desapego, cessação e abandono.

Voltar ao Índice

Capítulo 17

O que fazer de agora em diante?

Praticar a visão direta da realidade luminosa, além de qualquer ensinamento ou verdade a ser discriminada.

Voltar ao Índice

Capítulo 18

Nyams Sok Lung Loucura e o Cotidiano

Origem e liberação das perturbações físicas e mentais. A realização parece um estado mental elevado e específico. Há dificuldade em reconhecer a realização enquanto afastamento, desapego, cessação e abandono.

Voltar ao Índice