Alegria e Amor em Buda e Cristo

Em Setembro deste ano, o Lama Padma Samten recebeu na Roda de Conversa #57 o renomado teólogo católico italiano Alberto Maggi. Confira alguns registros deste momento feitos por nosso querido colaborador do Darmacausos do Gumercindo e tradutor nesta ocasião, o teólogo e cientista social Fábio Régio Bento.

0
60

Foram quase duas horas de diálogo entre dois grandes mestres sem nenhum ranço daquela doença mortal da visão e do coração conhecida como sectarismo. Lama Padma fez muitas perguntas e disse que ainda teria outras. Alberto respondeu que, como agora eles já eram como velhos amigos, ficaria feliz de voltar nesse templo do diálogo, que é a Rádio Ação Paramita, para continuar conversando sobre amor, encantamento a partir das tradições cristã e budista.

Selecionei alguns pensamentos de Alberto Maggi que surgiram nesse diálogo. Não é transcrição literal, mas uma síntese do que ele afirmou. Antes de publicar, pedi para o Alberto ler e ele disse que era isso mesmo. Espero que de alguma forma aquele encantamento que vivemos naquela manhã de terça-feira continue se expandindo e tocando todos os seres.

Fábio Régio Bento

Frases de Alberto Maggi:

O Deus que não vemos está em Jesus que vemos. Aquilo que não está em Jesus não está em Deus. Jesus é serviço e não poder. Deus é serviço e não poder.

Jesus – Deus para os seres humanos e não seres humanos para Deus. Em vez de oferendas (dos seres humanos para Deus, religião) acolhida dos dons de Deus para os seres humanos (fé).

Levar Deus não significa levar uma doutrina, uma lei, mas ser o carinho de Deus, a ternura de Deus para os seres que encontramos. 

Alberto Maggi – Fonte: Página do Facebook de Alberto Maggi

Deus está em cada um e este Deus em cada um não se manifesta quando levantamos os braços e dizemos aleluia, mas no serviço aos outros.

A criação é boa e bonita. Os seres são bons e bonitos. Muito bonitos. 

Na beleza se manifesta a divindade. Não na beleza física. Papa João XXIII não era muito bonito, mas era belíssimo.

O obstáculo é o interesse e a visão condicionada pelo interesse egoísta.

O ser humano não é o dominador da natureza, mas seu protetor. Entretanto, pelo interesse provoca devastação, destruição do ambiente que deveria proteger.

Podemos criar lugares de beleza onde as pessoas possam dizer: como é belo estar aqui. O ser crístico é beleza. A natureza (primordial) é boa e bonita.

Alberto Maggi – Fonte: Página do Facebook de Alberto Maggi

O Deus da criação se manifesta no novo e não na repetição.

Deus vem sempre. Em nome do deus do passado, não se acolhe o Deus que vem sempre, que continua criando.

Em vez de “deus, pátria e família”, que eram chamados de “valores sagrados” e em nome dos quais podia-se matar e morrer, Jesus anunciou “Pai, Reino e Comunidade”. Amor, serviço, espaço sem confins, comunidade sem dominação.

Se minha felicidade depender do que receber, viverei amargurado. Minha alegria, felicidade está no dar e não no receber. Está no que posso dar e não no receber. A felicidade do dar é plena, imediata, completa.

Podemos olhar os seres com os olhos encantados e cheios de ternura do Criador. Cada pessoa que encontramos e acolhemos é um presente de Deus que nos diz: “Olha só como eu te quero bem”. Você fica mais rico e grato com esses dons que enriquecem nossa vida.

Jesus e Buda – Parte da capa da Revista Bodisatva #26

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui